Seria o OPEN um “bicho de 7 cabeças”?

Alguns alunos me disseram:  – “O CrossFit Open é só para pessoas extremamente condicionadas e não para mim que já canso só no aquecimento!

Quantos alunos já mencionaram algo deste tipo durante às inúmeras tentativas do seu treinador de tentar convencê-los sobre o quão magnífico, sublime e épico é em participar da maior e melhor competição mundial da modalidade?

Como resposta a pergunta, falei: – O CrossFit é pra todos! Não importa se estão a pouco ou muito tempo. Somado a isso, o Open é uma competição de nível mundial onde atletas de elite e não atletas fazem o mesmo WOD, podendo ter alterações de acordo com o limite de cada um. Mostrando como é uma modalidade que agrega.

Em sua concepção, o CrossFit busca tirar o máximo que o corpo humano é capaz de produzir por um determinado tempo. No WOD (Workout of the Day [treino do dia]) é dada uma tarefa a qual o aluno desafiado tem por objetivo terminar no menor tempo possível (For Time [Por Tempo]) ou realizar a maior quantidade de repetições dentro de um tempo (As Many Round As Possible  –AMRAP– [Por Repetição]) pré estabelecido.

Tendo como base estes dois formatos de treino, os alunos, de acordo com o seu nível, são distribuídos em duas categorias:

Rx´d (do latim: como prescrito) à Quando o WOD está no seu formato original, sem sofrer alteração em nada, seja pela: carga, repetição de movimento, duração do treino ou movimento técnico;

Scaled (mudança dimensional) à No sentido literal é quando há alguma mudança tanto para mais ou para menos na carga, repetição, duração do treino ou no movimento técnico. Quando mencionamos esta categoria no CrossFit geralmente são alterações para menor carga, repetição de movimento e duração de treino, bem como de movimento técnico que seja mais fácil de ser executado.

Aqueles mesmos alunos disseram: – Isso quer dizer que se eu me inscrever pra o OPEN eu terei plena condições para realizar os treinos propostos, TREINADOR?”

Eu: – “Claro, meus caros mancebos! Não importa se entraram há pouco tempo. Todos os treinos serão possíveis e, se mesmo na opção scaled sentirem dificuldades, para aquele determinado treino será possível readaptar. É importante que saibam que o OPEN não se diferencia com relação aos treinos que vocês têm aqui dentro da academia de vocês. Ele se diferencia em apenas dois aspectos muito importantes…

Aqueles mesmos alunos me cortam durante a explicação: – QUAIS ASPECTOS, RÊ?

Eu: – “Por ser uma competição e por ser uma ferramenta valiosa de avaliação física. A competição fará você buscar o seu máximo de rendimento/ esforço tanto físico quanto psicológico e por milhares de pessoas participarem, será um ótimo meio de avaliar a progressão de suas condições físicas ao longo dos anos, uma vez que serão distribuídos em faixa etárias e, sempre é repetido um WOD do OPEN anterior para observar suas evoluções de forma direta. Fora isso, pouquíssimas possibilidades as pessoas têm em se comparar com atletas de elite, o OPEN propicia isso!

E os alunos finalizam: – “VAMOS PARTICIPAR! Obrigado meu treinador vegano preferido!

Renato Pécchio Gimenis “Renatus”
Curso CF – L1
Educação Física – UNICAMP
Pós-graduado Treinamento Esportivo – UNICAMP
TREINADOR ESPORTIVO
Vegano

Atua desde Fevereiro de 2016 como treinador de CrossFit

Atualmente trabalha como treinador de CrossFit na InVicio CrossFit e

Treinador pessoal na mesma empresa.

2019-02-01T18:28:06-03:00fevereiro 1st, 2019|CrossFit Games|0 Comments

Leave A Comment